15.5 C
Conselheiro Lafaiete
domingo, 26 setembro 2021

Minas Gerais alcança o 6º lugar em imunização contra a Covid-19

Minas Gerais alcançou o 6º lugar com maior percentual de imunização entre todos os estados do país. Em março, nosso estado ocupava o 17º lugar em vacinação. Esse avanço na posição foi anunciado ontem, sexta-feira (07/05), em coletiva à imprensa, pelo secretário de Estado de Saúde, médico Fábio Baccheretti.

Ainda de acordo com o secretário de saúde, Minas vai receber mais de 100 mil novas doses de CoronaVac neste fim de semana, o que possibilitará a retomada da aplicação da segunda dose nos idosos que já receberam a primeira. A expectativa é a de que Minas receba outras 400 mil doses de Coronavac na próxima semana, garantido a D2 para todos os mineiros que já receberam a D1.

Além disso, a chegada de milhares de doses das vacinas da AstraZeneca e da Pfizer nos últimos dias permitirá o início da vacinação para 2 milhões de mineiros que possuem comorbidades, como obesidade e diabetes. 

“Chegaram 50.310 doses da Pfizer para BH e a nova remessa da AstraZeneca que recebemos ontem foi de 396.500 doses. Portanto, iniciaremos agora a vacinação do grupo de comorbidades, que, além da idade, é um fator muito importante em relação a óbitos e ocupação de leitos. Quase 90% dos pacientes que evoluem para óbito nos CTIs têm ao menos uma comorbidade”, explicou.

A previsão em Minas é a de que todo o grupo tenha recebido pelo menos a primeira dose até o final deste mês.

Queda de óbitos

O secretário de Saúde apontou ainda que a queda considerável nos óbitos da população imunizada comprova a eficácia da vacina.

“Os óbitos em idosos tiveram uma diminuição significativa. Acima de 90 anos, foi de 8,8%, no início do ano, para 2,5% agora. De 80 a 89 anos, passamos de 21,5% de óbitos para 9,1%. E acima de 70 anos, a taxa era de 28,8%; hoje são 24,4%. Observamos com clareza a queda na proporção de óbitos naqueles que já estão vacinados com a segunda dose, o que nos enche de esperança em relação à eficácia da vacina”, disse.

A conclusão da imunização de idosos acima de 60 anos deve ajudar a reduzir ainda mais a mortalidade pela doença.

“Já estamos terminando a aplicação da primeira dose no grupo de 60 anos e alguns municípios já estão vacinando a segunda dose nesse grupo. A expectativa é que, 15 dias após a segunda dose, a imunidade seja a máxima possível pela vacina. Então, é questão de tempo para que possamos observar a queda da mortalidade. Lembrando que esse é, hoje, o grupo com mais mortalidade e ocupação de leitos nos nossos CTIs”, afirmou.

Ocupação de leitos

Baccheretti ressaltou ainda que a média atual de ocupação de leitos de terapia intensiva no Estado é de 80%, o que demonstra o fim do colapso do sistema de Saúde.

“Temos 150 pacientes aguardando leito de terapia intensiva, o menor número desde março. Isso mostra que o número de casos novos permanece baixo. Hoje, temos menos pacientes aguardando leitos de CTI e Enfermaria de covid, do que não covid”, explicou.

Educação

Ainda durante a coletiva, o secretário disse que a previsão é que os profissionais da Educação comecem a ser vacinados em junho.

“Minas está seguindo estritamente o PNI (Plano Nacional de Vacinação). O governador solicitou ao governo federal que os professores fossem adiantados na vacinação pela necessidade da volta às aulas. E a expectativa do PNI é que em junho os professores comecem a ser vacinados”, concluiu.

Fonte: Agência Minas

Ultimas Noticias