21.8 C
Conselheiro Lafaiete
segunda-feira, 27 setembro 2021

SECRETARIA DE CULTURA ANUNCIA AVANÇO NA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DA CIDADE E AUMENTO DA PONTUAÇÃO DO ICMS CULTURAL

A Secretaria Municipal de Cultura de Conselheiro Lafaiete anunciou esta semana avanços significantes na preservação do Patrimônio Histórico e Cultural da Cidade. Junto ao Conselho Deliberativo Municipal do Patrimônio Histórico, ações levaram o município a uma pontuação elevada jamais conseguida junto ao IEPHA. Segundo o Secretário de Cultura, “Conselheiro Lafaiete é uma das cidades da região que mais pontuou este ano. Esta pontuação é feita através de diagnósticos que apontam ações e investimentos a favor da preservação do Patrimônio Histórico local. Alcançamos a soma de 19,56 pontos evoluindo de 11 pontos que possuíamos no inicio de 2017”.

Estes números, representam mais recursos do ICMS Cultural destinados à Preservação da memória e das manifestações culturais locais. O resultado apresentado é fruto das ações desenvolvidas nos últimos dois anos que implicam nos projetos de restauro da Casa da Cultura Gabriela Mendonça e outros que a cidade em breve poderá acompanhar a execução.
“Uma destas ações, e que anunciamos publicamente por esta matéria são os registros que reconhecem a Imagem da Padroeira Nossa Senhora da Conceição, a sua respectiva Coroa e a Imagem de Nosso Senhor dos Passos, todos da Matriz Nossa Senhora da Conceição, como bens móveis de importância histórica do nosso Município. Tais feitos foram legalizados com aprovação do Conselho do Patrimônio Histórico, anuência do Pároco José Maria Coelho e por Decretos (120, 121 e 126/2021) do Prefeito Municipal Mário Marcus Leão Dutra”, comentou o Secretário de Cultura Geraldo Lafayette.

A Secretaria de Cultura e o Conselho do Patrimônio Histórico, conscientes do valor destes bens, buscam ações de proteção e preservação dos mesmos, visando a construção de uma identidade Cultural local, considerando a relevância das características que os mesmos envolvem. A Cidade, em 1709 foi dedicada à Imaculada Conceição, tendo sua paróquia instituída como a 13ª de Minas. A imagem agora Patrimônio Histórico tem origem Portuguesa e segundo laudo do Ministério Público é do século XVIII. Sua coroa, no entanto, é mais recente, quando sob o arcebispado de Dom Oscar de Oliveira, foi realizada em 1963 a coroação Pontifícia da Imagem.

Consta na história que a coroa fora desenhada por uma menina de 14 anos, chamada Beatriz Lopes Vieira, na ocasião aluna do Colégio Nazaré, depois projetada pelo artista Professor Celestino Roig e em seguida confeccionada por um joalheiro de Belo Horizonte chamado Raimundo Viana. Já a imagem do Senhor do Passos, , segundo histórico tem origem portuguesa e características do final do século XVIII. Consta que apenas outras três imagens similares existem no Brasil como a que os Lafaietenses veneram em todas as Semanas Santas; uma das principais características, além do estilo de roca, são as pedras de rubi, cravejadas em suas feridas representando o sangue de Cristo.


O Secretário de Cultura afirma que “este é só o começo, do muito que se há para reconhecemos e dar a devida importância na cidade. Sejam bens imóveis, móveis ou manifestações artísticas e culturais que representam a imaterialidade da nossa cultura. A intenção e objetivo tanto da Secretaria quanto dos Conselheiros do Patrimônio Histórico e Cultural é gradativamente dar a outros bens o mesmo reconhecimento e importância, projetando nossa cidade como uma das que mais valoriza e guarda a sua história religiosa, artística e cultural”.


Ainda de acordo com o secretário, o próximo passo a curto prazo, será o reconhecimento dos Festivais de Congado; Bandas de Música e o de Teatro , eventos que fazem parte de um calendário já tradicional na cidade. “Mas, o olhar dos gestores culturais vai adiante, vislumbrando registrar outros bens e manifestações como a Entronização dos Sagrados Corações, a encenação Bíblica da Semana Santa da Paróquia São Sebastião entre outros”.


“O registro mais que uma ação local, é levado até o Estado através do IEPHA – Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais afim promover a sua salvaguarda e documentar para o futuro, parte da nossa história. Por isto, seguimos o trabalho no intuito de não só acompanhar e proceder tais tombamentos, mas também de receber sugestões, realizar pesquisas, inventários do muito que futuramente possa fazer parte da nossa longa lista de bens culturais reconhecidos e protegidos por Lei em Conselheiro Lafaiete”, ressaltou o Secretário Geraldo Lafayette.


Para o Prefeito Mário Marcus preservar a história e a cultura de nossa cidade tem um valor que não se pode mensurar. “É mais uma importante conquista para a cultura local, vamos continuar trabalhando no sentido de recuperarmos nosso patrimônio e mantermos viva parte de nossa história, de nossa cultura, arquitetura e nossa tradição cultural”, ressaltou.

Ultimas Noticias